Publicado em 10 de agosto de 2017

Caos generalizado no sistema público

Giranotícia volta a discutir o problema dos deficientes físicos de Patos que ainda estão a espera das órteses, próteses e cadeiras de rodas motorizadas. A vereadora Fátima Bocão também esteve no programa desta quarta-feira (9), e relatou o descaso em que se encontra a saúde do município.

Fátima Almeida, uma dos portadores de deficientes físicos que acionaram o Ministério Público Federal (MPF), também aguarda a entrega do ítem pelo município. O impasse está em uma cadeira de rodas motorizada, que a prefeitura se recusa a fazer a entrega do modelo solicitado e como alternativa propõe uma versão “adaptada”. A cadeira é para Elis Maria, de apenas 12 anos, que sofre com uma doença degenerativa. O modelo indicado atende as recomendações da Rede Sarah Kubitschek, instituto de Fortaleza (CE) referencial nacionalmente no atendimento aos portadores de politraumatismos e problemas locomotores.

Fátima Almeida implorou uma ação da prefeitura diante da situação. “Eu passo o final de semana sem sair de casa porque o meu aparelho não me dá um estabilidade para sair”, relatou diante dos problemas de mobilidade enfrentados diariamente e que só se agravam com a espera pela prótese.

Os problemas vão além

Uma comitiva de vereadores vêm fazendo visitas em cada uma das Unidades Básicas de Saúde do Município (UBS) para apresentar um relatório do estado em que se encontram. Até agora os vereadores já passaram por 13 dos 40 postos de saúde, e vários problemas têm sido identificados.

A vereadora Fátima Bocão relatou a preocupação diante dos problemas  que presenciou em uma das UBS, como a falta de equipamentos mínimos necessários para o funcionamento, impasses estruturais, e até mesmo a má alocação de alguns recursos. Segundo a vereadora a maior parte dos problemas já deveriam ter sido solucionados nos primeiros meses da gestão.

A vereadora afirmou que vários requerimentos foram feitos ao município, mas que nenhum deles foi atendido por questões políticas. “O problema é que eu não sou atendida, infelizmente porque sou oposição. Eu não vou fazer 1% do que meu pai fez porque ainda existe a politicagem”, declarou.

A sociedade busca amenizar os problemas

Em Patos, a Associação de Proteção a Portadores de Câncer (APPC) faz a luta pelos pelos portadores da região.

A associação faz o encaminhamento dos pacientes diagnosticados com câncer para o tratamento no Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, além da distribuição de itens que ajudem no tratamento. Lenice Fernandes, presidente da associação afirma que os processos burocráticos do sistema público acabam gerando impasse na recepção de recursos destinados aos pacientes que fazem tratamento.

Problemas na porta do prefeito

A crise de gerenciamento do município não atinge apenas a saúde, mas outros setores públicos. Um dos problemas que Fátima Bocão relatou é o da iluminação pública de várias ruas que se encontram no escuro, inclusive a do prefeito Dinaldinho Wanderley, como afirmou.

A prefeitura afirma que o problema é devido a anulação do processo de licitação ao qual a empresa Real Energy havia ganhado, ocasionado pela acusação de participação em cartel no estado do Rio Grande do Norte, e que em um novo processo licitatório será realizado.

Por Ray Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *