Publicado em 10 de Abril de 2017

Veneziano diz que reforma política quer trocar Democracia por Partidocracia

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) se posiciona contra sistema de lista fechada proposto pelo governo Temer (PMDB) para realização de reforma política que deverá ser votado na câmara Federal nos próximos 40 dias.  As mudanças no sistema eleitoral do Brasil estão sendo discutidas pelos parlamentares para entrar em vigor nas eleições do ano que vem.

Veneziano não esconde sua opinião contrária às alterações sugeridas e declara que essa mudança tira direitos dos eleitores. “Eu sou totalmente contra a lista fechada e penso que estaríamos trocando a nossa Democracia –a vontade do povo– por uma Partidocracia –a vontade do partido–, em que os eleitos serão escolha de quem já está no comando”.

Para o parlamentar o sistema eleitoral que tramita no Congresso tira os direitos dos brasileiros escolherem seus candidatos. “A minha essencial e mais evidente contestação dessa proposta é que você tira do cidadão o direito dele fazer sua escolha sobre nomes, candidatos e passa a obrigá-lo a fazer escolhas sobre partidos. E nesse emaranhando em que todos os partidos são quase que iguais, a ressalvadas aqui ou acolá, com algumas exceções, todos falam a mesma coisa.  Não existe uma identidade que possibilite ao eleitor dizer: por força de meu pensamento e minhas convicções, eu vejo que aquele partido assim também se posiciona’ não existe isso no Brasil”.

Lista fechada

O sistema de lista fechada é uma forma de votação do sistema eleitoral brasileiro em que o eleitor votará somente no partido de sua afinidade política. Assim os partidos é que determinam quem serão os candidatos eleitos, de acordo com uma lis de classificação.

No período de campanha os partidos apresentarão a lista com o nome dos candidatos por ordem de prioridade, em que no final se contará os votos totais da legenda e assumirão os cargos políticos os que estiverem no topo da lista, ou seja, não haverá mais como o eleitor votar em “seu candidato”, mas sim em “seu partido”. 

Fonte : Blog do Gordinho 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *